Isolamento Social x Produtividade

Vivemos uma fase atípica que nos gera ansiedades e em alguns momentos podemos nos sentir perdidos.

As incertezas provocam questionamentos em relação ao modo que estamos vivendo, sendo exigidos externa e internamente por uma produtividade e necessidade de sermos úteis o tempo todo.

Não estamos acostumados a desacelerar, muito pelo contrário, queremos ter nosso tempo preenchido, muitas vezes porque não conseguimos ficar em silencio com nossos pensamentos.

Deixamos de gostar de nós mesmos, nos julgando e querendo cumprir com as expectativas que muitas vezes nem são nossas.

Estamos sendo conduzidos ao encontro com tudo que fomos escondendo de nós mesmos, nas nossas relações, nos sonhos que deixamos para o futuro, nas palavras que engolimos por não aprendermos a comunicar assertivamente.

Deixamos os prazeres de lado e voltamos a vida as obrigações diárias, entendemos a vida adulta como um lugar apenas de exigências e nosso exercício talvez seja o de encontrar ou reencontrar o que nos traz alegria,esquecemos do prazer.

Cada um está vivenciando esta fase de um modo diferente, alguns ainda precisam se arriscar trabalhando em atividades que não permitem o isolamento, outros já estão isolados há meses, mas com certeza estamos todos cansados e desejando profundamente que tudo isso passe o quanto antes.

Precisamos encontrar um jeito para nos comunicarmos melhor,  aprender a falarmos sobre o que sentimos sem precisar ferir.

Saber que o desenvolvimento em nossas vidas está presente em nossas relações em nossas escolhas.

Em meio a tudo isso, continuamos exigindo apenas produtividade?

Será que já podemos passar para o movimento e exercício do prazer e alegria nesta diversidade e avalanche de sentimentos e emoções que nos cercam por agora?

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove − 19 =

A proposta deste livro é nos levar a uma reflexão sobre a forma que nos relacionamos. Um singelo convite para que possamos entrar em contato com nossa história e perceber através dela como nos apresentamos nas relações. O autoconhecimento gera um campo de possibilidades para realizarmos nossos objetivos e estarmos inteiros nas relações. Percebendo nossas necessidades, deixamos de colocar no outro a resposta que desejamos, isso proporciona leveza em nossas relações. Com leveza, nos percebemos inteiros. E o que nomeio como encontros genuínos fluem com naturalidade. 

Clique nas imagens abaixo
e adquira o seu exemplar: